sábado, 4 de outubro de 2014

Vida académica


As minhas aulas começaram há duas semanas e eu já estou completamente apaixonada por Coimbra. Tenho tido praxes das 8h30 às 20h30. Contrariamente à maioria das pessoas, não fui com o pé atrás em relação à praxe. Sempre quis que aquela tradição fizesse parte da minha vida académica. E a minha faculdade vive esta tradição com todo o coração, vou ser praxada até Maio. Mas no primeiro dia só queria tornar-me anti praxe. Passamos 3 horas seguidas de quatro e tivemos muitas vezes de três, no alcatrão. Cheguei a casa exausta, não conheci ninguém, só queria ir para a minha casa. A partir do segundo dia foi tudo completamente diferente. Começamo-nos todos a conhecer, a ser unidos. A casa de Coimbra passou a ser a minha casa também. Os doutores já não eram aquelas pessoas que nós tínhamos de temer e sim amigos com quem podíamos contar para tudo, mas respeitar acima de tudo. Os colegas de turma passaram a ser os amigos que estão comigo de 4, que estão comigo a 'sofrer' e a fazer as maiores figuras de todas. Já gritei tanto que fiquei sem voz, já rebolei na lama e fui para o autocarro a cheirar mal de tão suja que estava. Já fiquei com os joelhos completamente esfolados. Fiz amizades com duas caloiras infiltradas. Tive uma aula fantasma e fiquei tão assustada que nem reagi quando revelaram a brincadeira. Comecei a perceber o significado e importância de estar trajado. Percebi que o meu chão também pode ser o meu céu e que o caloiro é sempre solidário, até quando deixa de ser caloiro. Conheci pessoas que tenho a certeza que vão ficar para a vida. Já fiz um teatro em frente à faculdade inteira. Já tive jantar de curso e fiz mais directas que em toda a minha vida. Já me perdi a caminho de casa quando só tinha de descer a rua. Meti-me de 4 em praxe para fazer o pedido à minha madrinha. Arranjei uma nova família. Já rasguei a capa à minha avó (madrinha da minha madrinha). Meti-me de 4 no meio da rua à noite para fazer o pedido ao meu pseudo-padrinho. Já chorei com saudades de casa e já me emocionei a ouvir a tuna da minha faculdade. Já ouvi a Balada da Despedida agarrada a pessoas que apenas em duas semanas se tornaram tudo para mim. Já dormi na entrada do Millennium com os meus doutores e colegas de tão cansados que estávamos. Já tive de me abrigar debaixo da capa de um doutor por causa da chuva. Já adormeci numa aula. Percebi o significado da Balada da Despedida e fico sempre com um aperto no peito sempre que a oiço. Já desejei ter a capa negra sobre os meus ombros e ao mesmo tempo nunca deixar de ser caloira. Cresci...acima de tudo, nestas duas semanas, cresci e tornei-me melhor pessoa. E tenho a certeza que os *Segredos desta cidade, Levo comigo p'rá vida*.

10 comentários:

  1. O que é uma aula fantasma? Já ouvi falar, mas não sei...E ainda bem que estás a gostar!

    ResponderEliminar
  2. Espero que voltes rápido rapariga! O blog vai ter muito mais piada contigo de volta ;)

    ResponderEliminar
  3. Ainda bem que estás a gostar, pipoca de metro e meio! :)

    ResponderEliminar
  4. Adorei o texto. Pareces eu quando era caloira. Só espero que os meus caloiros sintam o mesmo

    ResponderEliminar
  5. Identifico-me tanto com as tuas experiências! É o melhor tempo que temos, a faculdade. Boa sorte e aproveita, vai deixar taantaas saudades!

    ResponderEliminar
  6. Ainda bem que está a ser uma experiência tão boa! :D

    ResponderEliminar
  7. em coimbra vive-se um espírito académico incrível! bem vinda a esta maravilhosa cidade :)

    ResponderEliminar
  8. Coimbra é nossa até morrer!! eheh :))

    ResponderEliminar